Serviço de inserção e apoio ao mercado de trabalho

Do Programa de Educação Profissional e Colocação no Trabalho (PECT)

Considerando os aspectos sociais, ocupacionais e educativos do trabalho, a APAE de Araraquara, desenvolve o Programa de Educação e Colocação no Trabalho (PECT) que tem como objetivo, maior, inserir a pessoa com deficiência intelectual e múltipla na sociedade por meio do trabalho, através da:

  • Identificação das potencialidades e interesses das pessoas com deficiência intelectual e múltipla para a elaboração de programas de educação profissional;
  • Inserção das pessoas com deficiência intelectual e múltipla nesses programas por meio de oficinas, cursos e estágios;
  • Promoção de parcerias para garantir a qualidade do treinamento;
  • Sensibilização e conscientização da sociedade para as potencialidades de trabalho das pessoas com deficiência intelectual e múltipla.
  • Informação e conscientização do deficiente e de sua família sobre seus direitos e deveres de cidadão.

 

METODOLOGIA
Como descrito anteriormente, O PECT é divido em três etapas:

  • Preparação para o Trabalho, etapa composta pela Avaliação para o Trabalho e Pré Profissionalização;
  • Qualificação para o Trabalho, subdividido em Treinamento Profissional e Habilitação Profissional;
  • Colocação no Trabalho.

Cada uma das etapas é descrita detalhadamente, abaixo:

  • Avaliação para o Trabalho

    Consiste no levantamento das potencialidades das pessoas com deficiência intelectual e múltipla, especificando o grau de capacidade para a execução de uma tarefa ou desempenho de uma função ou emprego.
    Este levantamento é realizado através da análise do nível máximo de escolaridade e da situação de saúde física e psicológica; da realização de entrevistas com a própria pessoa com deficiência (e com o responsável se for o caso), visando obter dados referentes à situação de trabalho ou ocupação e o interesse da pessoa em trabalhar.

    Durante esta etapa o aluno ou usuário é avaliado através de técnicas psicotécnicas e de observações diretas que visam perceber fatores gerais e específicos de empregabilidade, em ambientes em que o candidato frequenta ou em situações específicas, como na realização de determinadas tarefas. Após a Avaliação, de acordo com as habilidades, autonomia e interesse no trabalho, os alunos ou usuários são encaminhados para a Pré Profissionalização ou, no caso de possuírem os requisitos, são encaminhados para programas que visem competências de vida.

  • Pré Profissionalização

    Possibilita a máxima autonomia para a pessoa, treinando hábitos e atitudes essenciais ao trabalho para desenvolver padrões de desempenho que correspondam aos exigidos no mercado, através do oferecimento de maior variedade de experiências de trabalho em atividades práticas, complementares e acadêmicas para que a pessoa, por meio de suas vivências, possa melhor definir seu interesse e desenvolver suas capacidades e potencialidades de trabalho. 

  • Qualificação para o Trabalho

    Para esta etapa são encaminhados os aprendizes que têm maior autonomia e que são capazes de executar atividades profissionais. A Qualificação: prepara o aprendiz para o exercício de atividades profissionais; aperfeiçoa conhecimentos básicos necessários para a profissionalização; serve de treinamento para posterior colocação no mercado de trabalho competitivo; oferecendo condições para o desenvolvimento de postura adequada ao trabalho. É um treinamento intensivo necessário para compensar o baixo nível de escolaridade dos portadores de deficiência mental, aspecto que dificulta a colocação no mercado. A Qualificação é realizada através do Treinamento Profissional e da Habilitação Profissional.

  • Treinamento Profissional

    Realizado na forma de estágio remunerado e supervisionado dentro da instituição e em empresas da cidade.

    Na instituição os estagiários são treinados para atividades de recepção e atendimento ao público e aos alunos, para monitorar alunos no laboratório de informática, preparar e fabricar alimentos e para empacotar e etiquetar produtos de empresas da cidade. Nesta etapa os professores são os responsáveis pelo treinamento e pela para promoção de quadro comportamental adequado e aceitável no mercado de trabalho para o desenvolvimento de habilidades necessárias para o desempenho de tarefas relacionadas ao trabalho.

    Nas Empresas, os estagiários executam tarefas de serviços gerais, administrativos e atendimento ao público. Esta modalidade de treinamento é destinada aos aprendizes que necessitem aperfeiçoar ou adquirir certas habilidades específicas e que tenham comportamento aceitável no mundo do trabalho, por possibilitar o ingresso no mercado e garantir a qualificação.

    Antes do ingresso do estagiário na empresa o Psicólogo a Terapeuta Ocupacional e a Assistente Social, coordenadoras do Programa, são responsáveis pela sensibilização, inserção e adaptação dos funcionários.

    Os alunos ou usuários, estagiários em empresas e na instituição, além do treinamento que recebem dos professores, são supervisionados semanalmente, pela Psicóloga e pela Terapeuta Ocupacional, integrantes do Programa. As supervisões ocorrem no local de trabalho, através de entrevistas com os funcionários que trabalham diretamente com o estagiário, que fornecem informações sobre o desempenho comportamental e de trabalho, tais informações indicam as necessidades de treinamento e de aprimoramento que devem ser trabalhadas com o estagiário.

    Semestralmente os empregadores respondem a um instrumento de avaliação de desempenho, de comportamentos e de habilidades para o trabalho que associadas às informações fornecidas semanalmente delineiam ações para os treinamentos.

    UNIDADE DE PRODUÇÃO
    Esta etapa também conhecida como Oficina de Produção, é um local onde são desenvolvidas atividades destinadas ao Treinamento Profissional, tanto para os aprendizes que tenham condições de ingressarem no mercado de trabalho, como também para aqueles que não tenham condições de disputarem uma vaga de emprego competitivo tradicional.

    A importância desta unidade é proporcionar uma estrutura similar à empresa, tanto no aspecto físico como no funcional, para que o treinamento seja compatível com as condições reais de trabalho oferecidas pelas empresas. Para os aprendizes que não têm condições de entrar no mercado é uma possibilidade de aprendizado e de geração de renda, que contribui para a inclusão do portador de deficiência, na sociedade, exercendo o seu direito de trabalhar e de produzir, melhorando a autoestima e tornando os portadores cidadãos reconhecidos.

    Dentro da Unidade há a prestação de serviços de mão de obra a terceiros, conhecida como subcontrato, cuja execução é feita pelos aprendizes no espaço físico da instituição e o material a ser montado é fornecido pela empresa, oferecendo oportunidade de treinamento para os aprendizes.

  • Habilitação Profissional

    Consiste em proporcionar ao estagiário a aquisição e o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades especificas a uma determinada profissão ou ocupação, através de um curso formal e sistematizado, abrangendo teoria e pratica e com duração pré-determinada. 

  • Colocação no Trabalho

    É a etapa de inserção da pessoa com de deficiência em atividade laborativa, no mercado de trabalho competitivo, condizente com seu potencial, suas condições físicas e aspirações de acordo com as disponibilidades existentes na comunidade.
    Na execução deste serviço firmamos parceria com o SENAI ARARAQUARA, Lupo S/A e FUNDECITRUS.

  • Defesa e Garantia de Direitos

    As ações de Defesa e Garantia de direitos são realizadas à medida que as situações de violação de direitos são identificadas. Estas ações perpassam todos os serviços propostos, pois são oferecidas numa perspectiva de defesa e garantia dos direitos sociais.

    Este trabalho é articulado com a rede de serviços do município, conselho tutelar, OAB, CREAS, Defensoria Pública e Sistema de Garantia de Direitos, além da participação de representantes da entidade nos Conselhos Municipais.